<BODY><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d19719256\x26blogName\x3dT%C3%B4+Feliz+da+Vida+!!!\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLACK\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://tofelizdavida.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://tofelizdavida.blogspot.com/\x26vt\x3d-4380976838915815081', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
08 janeiro, 2007


Flagrante de Praia





Ela (jovem, linda, sozinha) acabou de passar óleo para bronzear nos braços, depois de passar nas pernas, no colo e no rosto. Olhou em volta. A pocos metros dela, sentado na areia, um homem lia um jornal. Ninguém mais por perto. Ela examinou o homem com cuidado. Tinha aliança? Tinha. Casado. Seus trinta, trinta e cinco anos. Não era feio, apesar do seu nariz um pouco comprido. Ela falou:

_ Por que você estava me olhando?

Ele virou-se para ela surpreso:
_ Falou comigo?
_ Por que você estava me olhando?
_ Perdão. Eu não estava olhando para você.
_ Por que não?

Ele riu, sem saber o que dizer.
Ela continuou:
_ O que você está querendo?
_ Eu? Nada.
_ Tem certeza?
_ Eu posso lhe assegurar que...
_ Nada mesmo?
_ Nada. Juro.
_ Você não estava imaginando que o destino deve ter nos colocado aqui, lado a lado na mesma praia, com alguma intenção? Você nem sonhou em me dirigir a palavra? Em me convidar para um programa? Em começar um caso?
_ Não. Juro que não.
_ Você me acha repelente?
_ Não. O que é isso. É que...

Lá vem confidência, Pensou ela. Ele vai me dizer que é homossexual ou impotente. Ou, meu Deus! Que a mulher dele morreu ontem! Mas ele apenas disse:

_ Olhe, a última coisa que eu quero agora é um envolvimento emocional, entende? Não me leve a mal. Você é uma garota muito atraente, mas eu simplesmente não estou a fim.
Perfeito, pensou ela. Só mais uma pergunta:
_ A sua mulher está por perto?
_ A minha mulher? Não.

Perfeito. Ela levantou-se, caminhou até onde ele estava, sentou-se ao seu lado e pediu:
_ Me passa óleo nas costas?

Marcadores:





| Comente no Blogger: 0 | 10:00 AM